voltar
Pesquise sobre nossas escolas, notícias, portais e páginas.
(apague o campo para eliminar a pesquisa.)

Projeto de tecnologia educacional é tema de reunião no Centro de Excelência Atheneu Sergipense

Por Ascom/ Seduc
- 13/03/2019 15:44:00
319 acessos imprimir

O Centro de Excelência Atheneu Sergipense recebeu nesta quarta-feira, 13, representantes da Astral Científica, empresa especializada em projetos educacionais personalizados na área de tecnologia educacional. A reunião contou com a presença de professores e representantes da rede pública de ensino, com o intuito de analisar e traçar as demandas dos alunos da rede estadual quanto às tecnologias dentro da sala de aula.

 

A proposta apresentada durante a reunião pela empresa de tecnologia também objetivou o planejamento de desenvolvimento de conteúdo, aplicação de novas tecnologias, e o uso e atualização de infraestrutura existente para melhor atender às necessidades dos alunos de forma unificada.

 

Para o diretor do Atheneu, Daniel Lemos, o encontro é o primeiro passo para a integração da tecnologia no cotidiano escolar da unidade de ensino. “Essa reunião foi formatada para, justamente, dar oportunidade entre setores que pudessem discutir a questão de implementação de laboratórios, compra de materiais, de uma maneira que fosse, principalmente, interagindo com as novas tecnologias e como o mercado está exigindo dessa educação, uma educação intermodal, uma educação interdisciplinar”, disse.

 

Segundo Cintia Viesenteiner, coordenadora de Projetos Pedagógicos da Astral, o aprendizado regular com a execução, por exemplo, de atividade de robótica, estimula os alunos nas questões além da sala de aula, pois trabalham em grupo a criatividade, além do planejamento e raciocínio lógico. “Tudo se pode trazer em forma de tecnologia. Com um simples trabalho, como uma redação, por exemplo, você traz a tecnologia para a sala de aula através do conhecimento de autores de uma forma lúdica”, afirma.

 

Os participantes da reunião discutiram também as diretrizes, a fim de que o projeto seja posto em prática, além de um possível planejamento de capacitação contínua dos professores da unidade escolar. “As tecnologias também motivam e desafiam os educadores a atualizarem sua prática em sala, e o ganho é simultâneo, tanto para os alunos, quanto para os professores e a qualidade das aulas”, disse Lemos.

 

Também foi discutida a questão da utilização das tecnologias em sala de aula, com o intuito de aproximar os alunos do mercado de trabalho através de ferramentas e softwares, além de adequar as necessidades das instituições de ensino aos projetos de tecnologia educacional.