voltar
Pesquise sobre nossas escolas, notícias, portais e páginas.
(apague o campo para eliminar a pesquisa.)

Releitura de clássicos da Literatura estimula a arte entre alunos do Centro de Excelência Dom Luciano

Por Ítalo Marcos
- 11/02/2019 10:46:00
255 acessos imprimir

A praça da colina do bairro Santo Antônio, em Aracaju, foi palco de um grande encontro entre a dança, música, poesia e teatro, protagonizado pelos alunos das turmas de 1º ano do ensino médio de tempo integral do Centro de Excelência Dom Luciano José Cabral Duarte. Na noite do último sábado, 9, foi realizada a quarta edição do Vitrine Literária, evento que é aberto ao público e que já faz parte do calendário escolar do Estado.

 

O espetáculo foi idealizado e dirigido pelo professor Fabiano Oliveira. Esta edição contou com a participação de 135 alunos, que com bastante desenvoltura, tiraram a literatura dos livros e levaram ao palco. O tema este ano foi “O amor pelas lentes de Machado de Assis, José de Alencar e outras visões – entre o real e o ideal”, com representações das grandes obras da literatura brasileira como Lucíola, Dom Casmurro e Iracema.

 

De acordo com o professor Fabiano Oliveira, durante mais de dois meses os alunos se prepararam para o evento. Eles leram os livros, produziram os figurinos, fizeram a releitura das obras e selecionaram músicas que falam de amor. “O Vitrine Literária tem como ponto principal desenvolver a capacidade e as habilidades que cada um tem. Incentiva no aluno o que há de melhor. Promover essas habilidades nos alunos da escola pública para mim é gratificante. Sei que alguns deles irão para o teatro, outros irão para dança, e todos acabam tendo contato com a literatura”, afirmou. Ele destacou ainda que o evento teve total apoio do Governo do Estado, que ofereceu toda a estrutura de palco, som e iluminação.

 

Logo no final da tarde, a plateia formada por familiares, amigos e moradores do entorno se aglomerou na praça do Santo Antônio para assistir às apresentações.

 

A estudante universitária Fernanda dos Santos foi conferir a performance do irmão dela, Luiz Fernando, que apresentou um número de dança. “O Vitrine Literária tem a proposta de trazer um pouco da cultura. Proporcionar isso dentro do ensino médio é muito válido, porque estimula as artes e isso só abre caminhos para os alunos desenvolverem habilidades novas”, disse.

 

Quem também esteve presente foi Gilton Almeida, pai da aluna Vitória Bomfim. Ele disse que é importante a escola pública realizar um evento que estimula a cultura e o protagonismo dos jovens.

 

Novas habilidades

 

Os estudantes foram os grandes protagonistas do Vitrine Literária, que fizeram uma releitura própria das obras de Machado de Assis e José de Alencar. Participar do evento possibilitou aos alunos a descoberta e o desenvolvimento de novas habilidades. Foi o que disse a diretora do Centro de Excelência, Marli Barreto. “Nessa quarta edição o evento está mais maduro do que antes. Percebemos que esse projeto só tem avançado, os alunos estão se entregando mais, ficando mais desinibidos e extrovertidos. Eles desenvolvem habilidades no teatro, dança, canto e na música, mostrando realmente o que têm de melhor. Tudo isso só tem mostrado que vale a pena investir na educação e no ensino médio de tempo integral”, declarou.

 

O grupo que abriu o evento, formado por alunos de todas as turmas do 1º ano, apresentou um número de dança, arrancando aplausos do público presente. Na plateia, até torcida organizada era possível encontrar. A estudante Vitória Bomfim de Almeida atuou na peça “Iracema”, de José de Alencar, e disse ter aprendido muito durante o período de preparação para o Vitrine Literária. “Mesmo quem não dança, teve que dançar. Para apresentar poesias, tivemos que nos expressar mais. O teatro também nos ajudou bastante. Para mim foi uma experiência muito boa, pois até então eu só tinha prática da dança, mas acabei aflorando meu talento para o teatro”, afirmou.

 

A mesma opinião foi compartilhada por Luan Victor, que fez um número de dança. “Eu não sou acostumado a dançare agora pude experimentar essa nova forma de expressão. Além disso, aprendi mais sobre a literatura, que eu não conhecia muito bem, e tive mais contato com a música”, disse. A sua colega, Julian Carvalho, declamou uma poesia de autoria própria, intitulada “Foi bom”. “Eu nunca tinha participado antes, e dessa vez eu vou apresentar uma peça e vou declamar uma poesia. Acho muito bom para nós, alunos, termos essa oportunidade de obter mais conhecimentos sobre a literatura brasileira e sobre a arte”, disse.

 

Gabriela Farias participou de peça teatral, dança e também cantou no Vitrine Literária. Ela destacou que o evento lhe trouxe mais contato com a arte e com a literatura brasileira. “Isso é bom para nós, jovens, porque estamos indo atrás dos nossos sonhos, do nosso futuro. Aprendemos mais sobre os romances que lemos. Um evento como esse abre a nossa cabeça para o futuro”, declarou.

 

O jovem Brayan Lucas já tinha experiência com a dança, e teve a oportunidade se mostrar o talento que tem. “Isso despertou em mim também a vontade de querer participar de outras formas de arte”, afirmou.