Notícia do Portal

10/10/2017 15:22 (583 acessos)

Educa + Café: evento promove reflexões acerca do modelo de ensino que já é sinônimo de sucesso

Por Lívia Lessa

 

O segundo dia do evento Educa + Café, realizada no Radisson Hotel, nesta terça-feira, 10,  contou com  apresentação e compartilhamento de 62 boas práticas, dinâmicas em grupo, além das reflexões sobre as ações pedagógicas e discussão acerca da importância das disciplinas eletivas no que tange o protagonismo juvenil.

 

O Educa + Café é realizado pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seed) em parceria com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE). Participaram da atividade estudantes, coordenador pedagógico, coordenador administrativo financeiro, gestor escolar das 17 escolas que aderiram ao novo modelo de Ensino Médio em Tempo Integral, além dos técnicos do Departamento de Educação (DED) e do Núcleo Gestor de Escolas em Tempo Integral (NGETI).

 

A consultora pedagógica do ICE Ana Cláudia Farias Gomes, reconheceu que Sergipe avançou de maneira significativa ao fazer a adesão ao modelo de ensino médio em tempo integral. "Neste evento podemos comprovar diversos casos de sucesso nas unidades escolares da rede pública estadual. Dessa maneira, é visível que o Estado está na busca de uma educação de excelência", observou.

 

Cada vez mais os estudantes se interessam pelas atividades das disciplinas eletivas


Para a diretora do Colégio Estadual Dr. João Melo Prado, unidade escolar circunscrita à Diretoria Regional de Educação 5 (DRE 5), Shirley Cruz, a partir da implantação do novo modelo de ensino e com as atividades das disciplinas eletivas os estudantes cada vez mais se envolvem nas ações pedagógicas.

 

"Os alunos se envolveram de tal forma que eles estão até cogitando a implantação de mais disciplinas. No Colégio Estadual Dr. João Melo Prado contamos com as eletivas Ética e Sexualidade, Cultura Popular e da Palavra ao Texto que deu origem ao jornal da escola, intitulado ‘O Protagonista´. Os jovens estão motivados, há o envolvimento nas atividades, eles se atuam em pesquisa e se dedicam nas produções", ressaltou a diretora ao confirmar que acredita neste novo modelo de ensino pois os estudantes levam para à vida, colocam na prática o que aprendem na teoria. "As próximas disciplinas eletivas serão: Inglês a Língua do Mundo, No Mundo da Lua - Robótica e Astronomia, Não a dor, Sim a Vida", anunciou a gestora.

 

A coordenadora pedagógica Colégio Estadual José Rollemberg Leite, em Aracaju, Daniele Santana Batista, apresentou durante o evento os casos de sucesso na unidade escolar com as duas disciplinas eletivas: Do Mato ao Prato e Espaço Zen. "Nas eletivas os estudantes têm a possibilidade de unir o projeto de vida e já conhecer na prática o que aprendem na teoria. Além disso, há a interdisciplinaridade o que só favorece o processo de ensino e aprendizagem", destacou.

 

Aprendizado a partir das atividades das disciplinas eletivas


Segundo o docente da disciplina eletiva de Robótica, no Centro de Excelência Maria Ivanda de Carvalho, bairro 18 do Forte, em Aracaju, Manoel Messias Pereira Valido Filho, com o desenvolvimento e aprendizado os jovens percebem que eles podem sonhar alto. "Este novo modelo de ensino só colabora na formação e obtenção dos conhecimentos dos estudantes. Além disso, os estudantes passam a se envolver nas atividades que mais se identificam", comentou.

 

O professor de língua portuguesa, Carlos Alexandre Aragão, do Colégio Estadual 28 de Janeiro, em Monte Alegre, na DRE 9, afirmou que o novo modelo de ensino é sinônimo de sucesso. De acordo com ele, as atividades favorecem o envolvimento e engajamento dos jovens. Além disso, integra também a comunidade. "As disciplinas eletivas complementam o que estabelece a Base Nacional Comum Curricular se tornando um meio para que os próprios estudantes escolham os caminhos que anseiam seguir ao decorrer do ano este jovem trabalha no seu projeto e objetivo de vida. Dessa forma, a disciplina eletiva se torna muito importante na formação desse aluno que já na escola exerce a cidadania", observou ao destacar que o conhecimento se torna muito mais significativo para os discentes.

 

"No Colégio Estadual 28 de Janeiro o ensino médio em tempo integral só veio fomentar ainda mais o desenvolvimento dos projetos pedagógicos. A unidade escolar conta com as disciplinas eletivas Speak English, Badminton e Lente Encantadora e a Vale Sonhar. Todas trabalham habilidades diferentes e promove a descoberta dos talentos", complementou Carlos Alexandre Aragão.

 

Protagonismo juvenil


O discente do 1° ano, do Centro de Excelência Professora Maria das Graças Azevedo Melo, no bairro Coqueiral, em Aracaju Aéverton da Silva Gonçalo, afirmou que os educadores prestam todo o apoio e suporte necessário. "Temos autonomia, elaboramos projetos com o propósito de solucionar os possíveis problemas no espaço escolar. Criamos um contrato de convivência e com o diálogo tudo se resolve", disse. "Sou presidente do Clube de Música, além do aprendizado temos os momentos de lazer e ainda participo de diversos projetos de pesquisas, tenho uma boa preparação e acredito que serei aprovado, no curso de Engenharia Elétrica, na Universidade Federal de Sergipe (UFS), esta é a minha convicção ", comentou o estudante.

 

A jovem Isadora Santana de Jesus, aluna do 1° ano, no Colégio Estadual 28 de Janeiro, comenta com orgulho que faz parte de diversas atividades no espaço escolar. " Presido o Clube de Música, percebo que existe a interação entre os colegas. Integro também a comissão do ensino médio em tempo integral, faço parte do conselho escolar e ainda sou líder da minha turma. Ajudo nas decisões na escola e lá já exerço a cidadania", declarou.

 

Ensino médio em tempo integral


O modelo de Ensino Médio em Tempo Integral visa cumprir as determinações da meta 6 das legislações federal, que corresponde ao Plano Nacional de Educação (PNE) e estadual, representada pelo Plano Estadual de Educação (PEE). Em Sergipe, no primeiro semestre de 2017 já houve um salto quantitativo, contando com 17 unidades de ensino, sendo 8 em Aracaju e 9 no interior. Para 2018, 24 unidades escolares já demonstraram o interesse em fazer a adesão ao novo modelo.

 

Voltar à página anterior